dr. anti (2022)

A peça "Dr. Anti", da Cia Extemporânea, com direção de Ines Bushatsky e João Mostazo, que também assina a dramaturgia, usa a mistura de gêneros - como a comédia, o filme B, o terror e a farsa - para tratar de um assunto caro ao Brasil: as tensões que atravessam a sociedade hoje, em especial o problema do negacionismo.

A peça se passa durante um jantar, em uma casa da alta sociedade. Enquanto comem a salada e aguardam pelo prato principal, os seis personagens discutem sobre suas diferentes interpretações para a crise política e social dos últimos anos. Incapazes de chegar a um acordo, um dos convidados, o Dr. Anti - espécie de guru de uma seita -, propõe a realização de um pacto de sangue para sanar a crise do país.

Em meio ao discurso negacionista, ao pseudo-cientificismo e ao pensamento conspiratório disseminado por gurus do pensamento conservador, os personagens não se chocam com a violência, e o conflito central se passa em torno da suspeita de que a salada esteja envenenada.

 

sinopse

Seis personagens da alta sociedade se reúnem para um jantar. Enquanto comem a salada e aguardam pelo prato principal, discutem sobre suas diferentes interpretações para a crise política e social dos últimos anos. Vendo que os presentes são incapazes de chegar a um acordo, um dos convidados propõe a realização de um pacto de sangue para sanar a crise do país.

 

"Dr. Anti" estreou no Sesc Ipiranga. 

ficha técnica

Direção: Ines Bushatsky e João Mostazo. Texto: João Mostazo. Elenco: Ernani Sanchez, Felipe Carvalho, Letícia Calvosa, Mariana Marinho, Mau Machado, Regina Maria Remencius. Atriz substituta: Tetembua Dandara. Cenário: Fernando Passetti. Luz: Aline Santini. Figurinos: Marichilene Artisevskis. Direção musical: Gabriel Edé. Artista visual: Lídia Ganhito. Contrarregra: Julia Tavares. Fotos: Ligia Jardim. Produção: Corpo Rastreado – Anderson Vieira. Criação: Cia. Extemporânea. Duração: 75 minutos. Classificação: 16 anos