11 selvagens (2017 a 2020)

A peça "11 Selvagens" foi criada por Pedro Granato, que assina o texto e a direção, e por onze atores. O ponto de partida foi a tensão crescente no país em 2016, que resultou, entre outros aspectos, em manifestações pelas ruas, polarização e discussões sobre política acirradas ainda mais com a chegada da eleição presidencial de 2018.  

O texto, que foi indicado ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem 2017, coloca atores e público lado-a-lado em cenas do cotidiano em que explode um impulso descontrolado. Da violência à sensualidade, do absurdo ao trivial.  

Os onze quadros se desenrolam como se a plateia estivesse na mesma situação dos atores. Algumas geram reações, em outras o espectador é cúmplice e voyer. Cada quadro é levado ao paroxismo e quando parece não haver mais para onde ir, a música toma o ambiente e os atores extravasam em coreografias.

O figurino e a luz se baseiam em elementos minimalistas que são reconstruídos para cada cena. A intervenção musical dá agilidade à narrativa e permite uma explosão estética para além da verossimilhança. Histórias em que a plateia se identifica, músicas contemporâneas, tudo está equalizado para dialogar com a geração atual.

A peça já teve mais de 70 apresentações e figurou entre as melhores do ano de 2017 pela Revista Veja São Paulo. Cumpriu temporadas no Pequeno Ato (ficando em cartaz durante 6 meses seguidos em 2017), no Teatro de Arena Eugênio Kusnet (2018) e no Centro Cultural São Paulo (2018). Circulou pela periferia de São Paulo por dez Casas de Cultura (2018), participou da Virada Cultural em sessão no Teatro Alfredo Mesquita (2018) e foi contemplada pelo edital do Proac Circulação para fazer 5 cidades no interior do estado de São Paulo (2019). 
 

imprensa

Crítica Veja São Paulo (4 estrelas) - Dirceu Alves Jr.
"Diretor habilidoso, Granato compõe imagens impactantes e delicadas para temas espinhosos, amparado na coreografia de Inês Bushatsky e na iluminação de Gabriel Tavares. Fundamental para o acerto é o rendimento do elenco, cuja garra e uma defesa empenhada do texto justificam o crescente boca a boca em torno da montagem". Leia mais aqui.

Crítica Folha de S.Paulo (3 estrelas) - Bruno Machado

"Hábil, o diretor os aplica na construção das cenas que, normalmente, começam com o elenco contracenando junto ao público antes de partir para o palco, onde a tensão atinge o ápice, numa combinação de música e dança. Esse último recurso aponta para a precariedade da palavra —a civilidade— diante da realidade, complexa, e da decorrente irrupção do extralinguístico —o selvagem— sugerido pela expressão corporal". Leia mais aqui.

Reportagem Folha de S.Paulo - Maria Luísa Barsanelli

"É também no desentendimento que o diretor e dramaturgo Pedro Granato se baseou para seu 11 Selvagens. Narra uma série de episódios cotidianos, em princípio banais, que escalonam e chegam à violência. Seja a briga por um assento, que termina com pessoas a tapas, seja um encontro amoroso que acaba num estupro". Leia mais aqui.

 

ficha técnica

Direção e Dramaturgia: Pedro Granato. Elenco: Anna Galli, Beatriz Silveira, Bianca Lopresti, Bruno Lourenço, Felipe Aidar, Gabriel Gualtieri, Inês Bushatsky, Isabella Melo, Jonatan Justolin, Fhelipe Chrisostomo, Gustavo Bricks, Mariana Marinho, Mariana Beda, Mau Machado, Rafael Carvalho e Thiago Albanese. Iluminação e assistência de direção: Gabriel Tavares. Coreografia: Inês Bushatsky. Produção: Contorno Produções Assessoria de imprensa: Adriana Balsanelli. Direção de produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez. Realização: Pequeno Ato. 

Duração: 70 minutos. Classificação: 16 anos.